Saiba como dizer a verdade e qual a importância deste gesto

Saiba como dizer a verdade e qual a importância deste gesto

Há várias maneiras de demonstrar o que sentimos e quando o assunto é o amor a regra é a mesma. E, neste caso, falamos do amor que existe em diversas relações: na amizade, no companheirismo familiar, nas relações afetivas ou de amizade no local de trabalho. Seja através de alguns gestos, atitudes ou palavras, quando o sentimento é verdadeiro o amor é facilmente identificado. Partilhar uma música que seja especial para si ou que traduza o que sente, ouvir o outro com atenção depois de um dia difícil ou fazer um carinho espontâneo são algumas das formas possíveis de expressar o amor que sente por alguém. Mas demonstrar o amor que sentimos também pode ser um desafio. Isto porque amar alguém exige franqueza, dizer a verdade, ser sincero com o outro e, consequentemente, consigo mesmo.

Saber falar com sinceridade, principalmente sobre assuntos delicados ou situações menos confortáveis, é uma maneira especial de demonstrar amor. Mas dizer a verdade nem sempre é uma tarefa fácil. Isso porque, em algum momento da vida, aprendemos que a sinceridade pode magoar os outros, ou que nem sempre é considerado educado.

Mas, na verdade, o que devíamos ter aprendido é que existem maneiras para se dizer o que é necessário sem que se ofenda a pessoa com quem falamos. Dizer (e ouvir!) uma crítica, um comentário sincero, uma observação importante pode não ser simples, mas saiba que existem formas valiosas de o fazer. 

Dizer a verdade também é um ato de amor

Existe um provérbio que diz que “o sábio nunca diz tudo o que pensa, mas pensa sempre em tudo o que diz”. Isto dá que pensar!

Dizer a verdade é importante, mas dizer tudo aquilo que acreditamos ser correto ou importante pode ser um risco, pois o interlocutor pode nem sempre estar preparado ou disposto a ouvir. E a maneira como cada um encara os factos pode ser muito diferente. Temos todos uma história e uma maneira de nos expressarmos, de agir ou interpretar o que escutamos, que pode ser distinta e ter um impacto diferente em cada um de nós. 

Já a ideia de pensar sobre o que vai ser dito significa que existe uma preocupação, cuidado e respeito. Refletir sobre se a outra pessoa está preparada para ouvir o que precisa de ser dito ou até se aquilo que tem para dizer faz sentido naquele momento, se vai mudar a situação ou apenas ferir o outro, são avaliações das mais importantes que se devem fazer.

“O que eu mais queria era dizer a verdade…”

Já deve ter acontecido consigo: um amigo estava prestes a tomar uma decisão que parecia menos acertada e ninguém teve coragem de o alertar sobre o risco que, possivelmente, corria. Então, decidiu que seria você a fazê-lo. Mas, como dizer alguma coisa sem o prejudicar ou, mais do que isso, fazer com que ele entendesse a sua preocupação e avaliasse a decisão que estava prestes a tomar?

Ou então: há muitos anos que todos os domingos é dia de almoço de família, e você já prometeu a si mesmo que deste fim de semana não passa – vai dizer àquele seu primo que ele tem um mau hálito que insiste em não o largar. Mas, como dizer isso sem que ele se ofenda? É uma situação complicada, não é?!

Os exemplos acima são situações do quotidiano que já aconteceram com muitos de nós e que certamente continuarão a acontecer. Quem quer ajudar nem sempre está numa posição fácil, mas dizer a verdade vale sempre a pena.

Às vezes, mais do que dizer a verdade, o segredo está na maneira como o fazemos. E se o amor muitas vezes está nos pequenos detalhes, neste caso pode ser que não haja nada mais importante do que o cuidado de sermos sinceros.

Quando a crítica “salva”

O amor também permite que se façam críticas e é importante que saiba disso. Nutrir amor por alguém não faz de si alguém incapaz de perceber que algo podia ser melhor. Pelo contrário. E criticar não é necessariamente algo negativo: uma observação pode ser extremamente importante, podem até ser sugestões que mudem o rumo das coisas e transformem positivamente a vida de alguém de quem gostamos.

Já deve ter ouvido falar em “críticas construtivas”, mas sabe o que isso significa? 

Trata-se de observações que apoiam e valorizam o outro, que são partilhadas com o objetivo de ajudar a outra pessoa, que estimulam mudanças positivas. É esta a essência do termo. Uma crítica pode, sim, ter um sentido positivo naquilo que é dito, e a maneira como se verbaliza é cuidadosa e respeitosa. Criticar alguém de forma construtiva pode ajudar a melhorar atitudes, a maneira de realizar um determinado trabalho e auxiliar no desenvolvimento pessoal e profissional daquele indivíduo.

Não há um fórmula para fazer estas críticas, mas há algumas dicas que podemos partilhar consigo. Ter atenção, identificar o momento ideal e, principalmente, saber como vai dizer aquilo que pretende, analisando se o outro está confortável para ouvir, são pontos importantes. E perceba que esta atitude é muito diferente do que simplesmente apontar os defeitos. Não acha?

Saiba que pode dizer o que quiser a uma pessoa – dizer a verdade, ser sincero -, mas use as palavras certas e no momento apropriado. Essa é a diferença!

Agora, se ficou confuso e não conseguiu identificar se o que tem a dizer vai ajudar ou atrapalhar a outra pessoa, preste atenção.

 

3 passos para dizer a verdade sem ofender

Passo 1: questione-se

Sempre que tiver algo a dizer, pare e questione-se. Reflita sobre se deve, realmente, dizer o que pretende, se o que tem a dizer fará alguma diferença positiva na situação em causa.

 

Passo 2: exercite a empatia

Questione-se também sobre se o que vai dizer pode magoar os sentimentos da outra pessoa. Aproveite para exercitar a empatia: coloque-se no lugar do outro e imagine como receberia aquela informação.

 

Passo 3: observe e respeite

Se demorou a encontrar a resposta para questões acima, pode ser um sinal de que o que tinha a dizer talvez não fosse o mais apropriado, pelo menos naquele momento.

 

Para ilustrar o que acabámos de explicar, preparámos um esquema interessante. Veja!

fluxo-01.jpg

Mas, se percebe que, para dizer a verdade, ainda precisa de melhorar a maneira como o vai dizer, tenha atenção ao que ainda temos para lhe dizer sobre este assunto!

 

Dicas preciosas para relações saudáveis e construtivas

Embora toda a gente prefira ser elogiada pelas suas qualidades em vez de criticada pelas suas fraquezas e defeitos, nem sempre será isso que vai acontecer. Então, seja com o amigo que está prestes a tomar uma decisão duvidosa, com o primo que sofre com o mau hálito mas que não percebe, ou com qualquer outra situação em que dizer a verdade pode ser delicado, partilhamos mais algumas dicas que podem ajudar:

  • Seja sincero, mas também cuidadoso. A franqueza é muito importante quando o tema é uma conversa transparente e educada;

  • Tente conversar num sítio onde possam estar a sós e que deixe a outra pessoa confortável. Nem pense em conversar à frente de outras pessoas, porque o assunto pode expor o interlocutor e gerar ainda mais problemas;

  • Escolha bem as palavras. Podemos ser sinceros e fazê-lo com amor, mas também com crueldade e, no nosso caso, escolhemos sempre a primeira opção;

  • Se o assunto permitir, tente tornar a conversa mais descontraída para aliviar a tensão. Isso pode demonstrar que podem conversar sobre qualquer coisa, sempre com sinceridade e naturalidade;

  • Tenha em consideração a personalidade da pessoa com quem vai falar e adapte o tom da conversa;

  • Peça permissão para dizer o que avaliou ser necessário, fale na primeira pessoa e tente colocar-se no lugar de quem vai ouvir. Isso pode ajudar a ajustar o tom e também a fazê-lo prever como a conversa pode correr;

  • Comece por reforçar os pontos positivos, aquilo que considera ser bom no comportamento do outro, e diga depois as partes menos positiva, para que haja uma maior probabilidade de aceitação;

  • Cuidado com os gestos impulsivos, como o apontar de dedos. Aliás, a impulsividade nada tem a ver com o cuidado e respeito que se pretende ter no momento de dizer a verdade e ter uma conversa mais séria e necessária com quem quer que seja. Além disso, o nosso corpo “fala” e às vezes, sem se aperceber, as nossas mãos podem indicar algo desagradável ou incoerente com o que estamos a falar;

  • Tente falar pessoalmente. Frente a frente, a mensagem flui sempre melhor;

  • Seja claro e concentre-se na solução daquilo que vai dizer, nunca no problema;

  • Deixe a pressa e as indiretas de lado. Falar com o tempo cronometrado ou ser pouco objetivo pode dificultar a comunicação e dar origem a situações desagradáveis;

  • Mostre empatia e carinho. Estas duas caraterísticas vão mostrar que se interessa pelos problemas da pessoa a quem disser a verdade;

  • Lembre-se de que, na maior parte das vezes, há uma interpretação errada daquilo que quer transmitir;

  • Nunca se esqueça que ninguém é perfeito, nem você!

Percebeu como dizer a verdade também é um ato de amor?!

E já que “amor” é a palavra de ordem por aqui, aproveite este mês especial e declare o seu a quem é importante para si. Partilhe o material exclusivo que preparámos para personalizar o ecrã do smartphone ou do computador. Deixe o amor invadir os seus dias. 

QUERO PARTILHAR O AMOR 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.